Tags

, ,

Quem Disse que crianças são inocentes?

Nos anais do cinema o gênero “crianças assassinas” já foi explorado em inúmeros casos. Em clássicos como The Bad Seed (1956), A Aldeia dos Amaldiçoados (1960), A Profecia (1976), o espanhol Quem Pode Matar uma Criança? (1976) e O Anjo Malvado (1993). Eis que vem da Inglaterra The Childrens dando uma nova roupagem para esse sub-gênero.

A premissa é simples: uma afortunada família chama um casal de amigos e suas crianças para juntos festejarem as festas de fim de ano. Eis que as crianças começam a apresentar sintomas parecidos com gripe, mas que evolui para algo mais sinistro e perigoso.

Escrito e dirigido por Tom Shankland baseado em uma história criada por Paul Andrew Williams, The Children não tenta explicar o porquê da situação, se é uma praga, possessão demoníaca, ou seja, lá o que for. O simples fato de que seus amados filhos poderiam se voltar contra você e sua família sem qualquer razão já é muito mais assustador, e piora ainda mais por não sabermos das insanidades de que uma criança é capaz.

Mesmo que estejamos lidando com uma simples (não original) história, sua construção é impecável em diversos níveis. Desde a criação de seus personagens, pois por mais básica que seja a base famíliar, é nesse simples desenvolvimento de caráter que aos poucos somos transportados para momentos de extrema insanidade. Em segundo, as crianças são assustadoras. Também há uma sensação de desconforto no transcorrer onde o filme se aprofunda em seus sustos um pouco repulsivos. Mas a meu ver o grande brilhantismo do filme é o seu senso de ambigüidade e contradição. Aqui temos inúmeras vitimas (as crianças) simpáticas, atordoadas e “assustadas” como você revidaria? Ver o seu filho matar alguém já é algo assustador, mas agora imagine ele vindo matar você. Pois então este a meu ver é o grande questionamento, será que você teria a capacidade de matar o seu próprio filho para preservar a sua vida?

Embora a questão de saber se você seria capaz ou não de matar uma criança seja perturbadora, é o suspense que o diretor Tom Shankland nos entrega é o que faz de The Children algo terrivelmente espetacular. Pequenos fatores ajudam muito: como uma solidez nos momentos de conflitos e o horror das execuções, o surpreendente trabalho de edição e fotografia. É admirável que Shankland soube trabalhar muito bem com o tema de crianças violentas e não se intimidou em nada. O que choca ainda mais é a idade das crianças, entre 6 a 8 anos.

É muito bom ver a qualidade e a quantidade dos filmes de terror que tem surgido nas terras da rainha. Além de Crianças, tivemos o bom Sem Saída (Eden Lake, 2007) (tratando sobre o mesmo tema “crianças assassinas”) além do elogiadíssimo Abismo do Medo (The Descent, 2005).

Eu sempre tive medo de crianças em filmes de terror, para me borrar então não custa muito é só colocar elas rindo, mas o que realmente me assusta no exato momento… É pensar que as crianças são o nosso futuro! Medo!

Diretor: Tom Shankland

Roteiro: Tom Shankland baseado na história de Paul Andrew Williams

Elenco: Eva Birthistle, Stephen Campbell Moore, Jeremy Sheffield, Rachel Shelley, Hannah Tointon, Raffiella Brooks, Jake Hathaway, William Howes, Eva Sayer