20130423-164435.jpg

É fácil ser hipócrita hoje em dia e achar que se é feliz, que a vida é completa e que todos os desafios podem ser enfrentados sem medo ou temor.

Para se compreender a beleza da vida deve-se primeiro estar disposto a perder tudo, inclusive a si mesmo, aceitar a derrota e sem deliberação conhecer o medo, sem mascarar os sentimentos ou bloquear formas de esconder as raízes daquilo que verdadeiramente nos aflige.

Uma pergunta que eu faço, você tem prestado atenção ultimamente? Escutado os sons ao seu arredor, ou escutando uma voz dentro da sua cabeça?
Já parastes para prestar atenção nos sons que te circundam, ou escutou no que esta voz na sua cabeça tem a dizer?

Muitas pessoas buscam por meio de orações, reflexões ou meditações aquietar esta voz ao invés de escutar ela. Poucos são os que se permitem buscar nas profundas raízes do nosso “Eu”, o verdadeiro caminho para a total compreensão sobre o que nós realmente somos, outros se quer se fazem essa pergunta por medo das respostas que podem encontrar.

Nossas mentes possuem em seu cerne todas as ferramentas, moldes para desbravar e encontrar a origem da nossa verdadeira essência.

Mas aposto que neste momento a maioria de nós, estão fazendo aquilo que quer e que acha que é o certo, o correto, o caminho para a felicidade, mas se levantarmos a cabeça e olharmos lá na frente, ainda conseguimos encontrar o objetivo? Conseguimos olhar para traz e perceber se o caminho trilhado para chegar até este momento foi correto?

O nosso objetivo ira sempre estar na nossa frente independente do caminho trilhado, mas buscar encontrar dentro da nossa natureza o caminho certo para conquistar o objetivo sem precisar envolver a felicidade numa mascara de irrealidades e mentiras, é o verdadeiro propósito do auto conhecimento.

Coloque de lado seus sentimentos, seu intelecto, coloque de lado tudo que se sabe (ou acha que sabe), tudo que aprendeu como certo e errado, amor e ódio, bom e mal. Mas principalmente ponha de lado aquilo que compreende em ser você.

Limpe sua mente e se redescubra, liberte-se de tudo, tecnologias e ideologias, não segure no mastro de um barco afundando, nade e liberte-se. Uma mente limpa é como uma folha de papel em branco, pronta para criar, imaginar e compreender novas formas. Não garanto que será a jornada mais fácil, mas acredito que podemos encontrar tesouros por caminhos que nunca imaginamos trilhar.