A VIDA DO HOMÚNCULO

Me definir seria tão fácil quanto encontrar Atlantis.

Sou um nerd incorrigível. Amo a leitura, quadrinhos, filmes, música e informática. Ou seja, até então um Nerd padrão.

Virginiano (sim, acho o zodíaco bem legal, mas não acredito em previsões), sou alguém extremamente depressivo. Deveria tomar alguma coisa, mas acho que todo e qualquer remédio é puro placebo. CUIDADO: Suicida em potencial!

Ateu convicto, respeito as crenças de cada um, mas acho a religião o mal da humanidade e de forma geral uma perda de tempo sem sentido e ignorante. Levo o budismo como filosofia de vida, pois acho que quanto mais simples a vida for melhor. Talvez por presenciar o quão superficial e materialista as pessoas são, seja o grande motivo da minha depressão.

Tenho a leve impressão que as pessoas me vem como uma pessoa muito chata. Talvez eu realmente seja…

Amo a Inglaterra e a cultura/culinária Japonesa. Amo tempo frio. Temperatura abaixo de 0° para mim é uma brisa leve.

Vegetariano por opção e convicção. Não bebo, não fumo, não uso drogas. Careta classe especial.

Meu filme favorito é Cinema Paradiso. Se há um filme que define minha paixão pela sétima arte é esse! Durante toda minha infância minha mãe me apelidou de Toto por ser parecido com o garoto. Meu livro de cabeceira é O Mundo Segundo Garp ou Os Irmãos Karamazov.

Possuo um terceiro mamilo no lado direito, acho minhas orelhas horríveis, adoro meu nariz.

Pessoas complexas, “diferentes”, inteligentes, engraçadas, cultas me fascinam. Heterossexual (mesmo sem nunca ter estado com alguma mulher) mas tenho total respeito pelos homossexuais. Os travesti dentro de certos limites.

Gosto de coisas sem nexo e sem noção. Filosofar é um dom que muitos pensam ter mas poucos sabem fazer.

Detesto modinha, detesto quando coisas que eu gosto começam a entrar no gosto popular. Música, é uma questão de gosto, mas tem muita gente que não tem gosto de música. Isso é fato!

Professor de Ed. Física, gosto de praticar e dar aula de Yoga. Mente e corpo são um único elemento, como já diz o ditado “Orandum est mens sana in corpore sano”. Mas são poucas as pessoas que buscam um balanço entre os dois.

Se o mundo acabasse hoje morreria incompleto. Se um mundo fosse devastado por uma infestação de mortos vivos eu sobreviveria fácil. Se Deus realmente existe eu estou ferrado.

Tenho consciência que sou uma partícula de pó no meio do universo. Não acredito em destino, mas tenho certeza de que nosso universo é imutável. Acho viagens no tempo e universos paralelos um tema fascinante.

Enfim, me definir é difícil assim como todos nós. Se há alguma explicação para a nossa existência é cada um viver a sua vida como achar melhor sem que isso interfira no bem estar do próximo. Acredito no balanço das coisas, acredito na ciência e acredito que já falei demais e estou me tornando chato e repetitivo.

Não sei se a frase é dela, mas como uma amiga falou uma vez: “todos precisamos de cúmplices para vivermos a vida sem que a existência não seja apenas um grande vazio”.

Enfim, as pessoas acreditam em várias coisas, até que possam encontrar Atlantis, então eu acredito que um dia eu possa me encontrar. Encontrar a minha cúmplice, nem que seja na minha morte!

3 opiniões sobre “A VIDA DO HOMÚNCULO”

  1. Você ganhou um leitor com esse texto (na verdade, comecei te seguindo no Twitter e então cheguei aqui).

  2. Lucio disse:

    Que bacana! Li seu texto sobre How to train your dragon, que achei MUITO bom e resolvi saber quem você é, então entrei aqui. Tenho muitas similaridades com o seu modo de enxergar o mundo, que coisa não?

    Amo cinema. Acho que as pessoas são materialistas demais. Gosto da filosofia budista. E sou fã de Cinema Paradiso – embora não seja meu preferido (o meu número 1 é Requiém para um sonho).

    Abraço!

  3. “Sou um nerd incorrigível. Amo a leitura, quadrinhos, filmes, música e informática. Ou seja, até então um Nerd padrão.”

    Integro esse trecho completamente e muitos outros, mas que não convém citar para que não fique enfadonho.

    Sou jovem, mais do que muitos imaginam. Professor dentro da área de letras. Casado e pai. Em contrapartida, sou muito nerd, chegando a ponto do “geek” atual, parte pelo fato de ser programador também. Aficionado por cinema. Leitor assíduo. Coleciono scans.

    Apresentado.

    Se tiver interesse, peço que seja um dos únicos a visitar meu blog. Enfatizo “único”. Não gosto de público, mas aprecio poucas mas produtivas amizades. Não sou nenhum misantropo, mas pessoas demais não significa boa coisa.
    Por que tenho um blog? Por que se eu não liberasse o que escrevo minha esposa me mataria ou teria um surto.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s